O Governo pretende aumentar os níveis de criação de arroz no Vale do Limpopo, na região de Gaza. Por isso, o ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Celso Correia, impulsionou, nesta segunda-feira, o despacho do início dos exercícios de nivelamento de 5 mil hectares.

Com esta actividade, o volume de produção de arroz no Vale do Limpopo em Gaza passa dos actuais 3,5 toneladas para seis toneladas por cada hectare, ou seja, praticamente o dobro.

A criação não termina com discussões ilimitadas. Temos que aproveitar o que temos e as condições de que precisamos para seguir em frente. Serão os resultados que direcionarão as especulações futuras. Depende de nós transformar o nosso mundo em progresso, disse o Ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural.

Para a líder legislativa da região de Gaza, Margarida Manpandzene, e o secretário de Estado, Amosse Macamo, o programa vai mexer com este pedaço da nação.

O chefe geral do Instituto Nacional de Irrigação, Paiva Munguambe, avaliou que a actividade irá render mais de 6.000 fabricantes para o Rego de Chókwè e o Baixo Limpopo.

Adicionalmente como componente da visita à região de Gaza, Celso Correia visitou a unidade de manuseamento de milho e arroz, SECHIL, LDA, onde contratou comerciantes de sementes de arroz, entre outros, para dar seguimento à apreciação da questão da especificação de custos quando o interesse por sementes confirmadas ultrapassou a flexibilidade desde que o empreendimento Sustenta foi impulsionado a nível público.

O proprietário do empreendimento, Hélder Chilengue, jurou fazer sua criação mais radical e dupla com o financiamento do programa Sustenta.