Donald Trump prossegue com os ataques à China, atualmente através do hostil contra o aplicativo Tik Tok.

O presidente americano assinou nesta quinta-feira o pronunciamento que caracteriza um prazo de 45 dias para o término de qualquer acordo com a Byte Dance, proprietária do aplicativo.

Se não houver entendimento, a aplicação será proibida nos telefones americanos. O objetivo de Washington está também a rede social wechat.

Na segunda-feira, Trump reconheceu a chance de um encontro americano comprar o Tik Tok. A Microsoft está tentando organizar a compra, no entanto, o fará e fará agora dentro do limite possível pela declaração presidencial.

O presidente convoca a crise nacional e culpa as duas organizações interpessoais pela vigilância que serve a Pequim.

O chefe de discrição dos EUA, Mike Pompeo, havia dito na quarta-feira que os Estados Unidos propunham boicotar o Tik Tok, no entanto, outras aplicações de segurança nacional na China.

A declaração mostra: Como o TikTok e o WeChat coletam naturalmente um amplo escopo de dados sobre clientes, tomam medidas para comunicar dados individuais sobre americanos ao Partido Comunista Chinês.

Até agora, os funcionários do governo dos EUA não estão autorizados a utilizar o Tik Tok. O projeto foi consistentemente afirmado no Senado.