O Governo avalia que os infortúnios provocados pela vandalização da linha de transmissão de influência de alta tensão que associa as subestações Ressano Garcia e Infulene na região de Maputo são superiores a 20 milhões de meticais.

Filimão Suaze, representante da nona reunião habitual do Conselho de Ministros, reunida ontem em Maputo, aludiu aos resultados do estoque de poder no sul do país e apelou à observação e detalhamento das circunstâncias de vandalismo e roubo de produtos da Estado.

A atividade dos criminosos causou a derrubada de três torres e o arrastamento de outras sete. Posteriormente, o arranjo de energia para a cidade e região de Maputo, agora, é totalmente dependente da Subestação de Maputo, situada na região de Beluluane e cuidada pela África do Sul.

O trabalho realizado pela Polícia da República de Moçambique e pela Eletricidade de Moçambique permitiu reconhecer tendas que estavam sendo trabalhados em Ressano Garcia com tirantes expulsos das torres tombadas.

Ainda ontem, o Executivo refletiu sobre a proposição fundamental para o Plano Econômico e Social para 2020 (PSE – 2020) e as regras gerais a serem observadas na preparação do Orçamento do Estado para o corrente ano.

Sem fornecer números, Suaze esclareceu que o PES-2020 é um instrumento que permite a programação e os executivos do movimento monetário e social que gerenciarão a atividade governamental no principal ano de atividade do Programa Quinquenal do Governo (PQG) 2020-2024 e o Orçamento do Estado, assim como sua articulação orçamentária anual.

Trata-se de um arquivo que ainda aceita compromissos de desenvolvimento, afirmou, referindo-se adicionalmente ao efeito do coronavírus na economia mundial, que pode impactar o Orçamento do Estado durante o corrente ano, condicionada ao avanço da pandemia.

Numa reunião semelhante, o Governo considerou os dados identificados com a expansão da possibilidade de confusão, tendo acabado de reunir 229 e no valor de mais de 223 mil meticais.

São jogos que atraem os jovens e pedimos que sejam tratados em todos os níveis pelos vícios que produzem e pelos resultados que trazem para as escolas por causa de adiamentos ou falta de aulas.

Com relação ao coronavírus, o governo repete que o país não tem casos confirmados da doença e continua a envolver a população na apropriação de medidas para prevenir a infecção, que acaba de executar um grande número de indivíduos em todo o mundo.