Após cinco meses de confinamento, os locais de interesse fundamentais do Rio de Janeiro voltaram a abrir neste sábado.

Os lugares mais visitados da cidade se reuniram para receber uma típica convenção de segurança e atrair para casa o setor de viagens. Seja como for, para isso impulsionou-se a batalha da Redescubra o Rio, que adianta visitas com custos extraordinários e limites que vão de 30% a até a metade.

Uma das reaberturas mais esperadas pelos veranistas foi a do Cristo Redentor, que segundo o Ministro do Meio Ambiente do Brasil implica a retomada do Brasil no ramo de viagens.

Durante a visita, os viajantes precisam vestir uma capa, manter uma separação de base de dois metros e não podem deitar no chão obviamente, para obter o melhor absoluto.

O local suspendeu as visitas em março, quando medidas foram forçadas para acabar com a contaminação do novo coronavírus.

Nos últimos poucos meses, continuou funcionando como um asilo estrito, com massas e sem grupo de pessoas.