O COVID-19 está influenciando os transportadores que viajam de Moçambique para algumas comunidades urbanas da África do Sul. A quantidade de viajantes no Terminal Junta diminuiu radicalmente e os motoristas discutem infortúnios.

No Terminal Junta, por exemplo, seis a sete transportes partem dia a dia para algumas áreas urbanas da África do Sul. De qualquer forma, desde segunda-feira, as viagens foram prejudicadas como resultado do episódio do COVID-19 naquele país vizinho.

Nesta quinta-feira, das 4h às 11h, ponto em que nosso relatório saiu do local, apenas um único veículo havia saído para a terra do rand.

Desde que essa infecção (Coronavírus) apareceu na África do Sul, perdemos viajantes. Estou certo de que muitos moradores ficaram assustados com a pandemia, disse Jerónimo Alafo, transportadores e pioneiros desses administradores.

O que está nos perturbando atualmente é a licença não remunerada impermanente de três meses. Com essa pandemia, a licença pode ser rescindida sem ter feito nada e isso é um infortúnio, disse o chefe dos transportadores.

Uma situação semelhante é vista da África do Sul para Moçambique.

Na África do Sul, permanecemos por sete dias sentados com os viajantes e, em alguns casos, voltamos com alguns viajantes. Ou, por outro lado, com um veículo não preenchido. Isso está nos causando infortúnios, disse John Fumo, outro motorista do curso de Maputo / Joanesburgo.

Nervosos por encontrar um ritmo viável, na África do Sul, descobrimos Gina Mafuiane em um veículo não preenchido, apertado para diferentes viajantes.

Desde que apareci no Junta Terminal às 5 da manhã, ainda estou fazendo uma pausa. Os motoristas não admitem sair com apenas um viajante e estou chateado porque deveria estar lá (no domínio da África do Sul). Tenho assuntos a tratar, disse o viajante.

Conforme indicado por ela, os administradores esclareceram que a ausência de viajantes, o que sugere um adiamento na partida para a África do Sul, é por causa do Coronavírus.