O irmão mais estabelecido de Bobby Charlton era uma salvaguarda e foi ele quem evaporou o grande golias português, José Torres, na semifinal desta lendária Copa do Mundo, da qual Eusébio caiu em prantos.

A onça-pintada somou um castigo naquele duelo, mas Portugal perdeu (2-1) e Jack chegou a considerar Mário Coluna o extraordinário supervisor dos Magriços.

A Grã-Bretanha venceu a última em Wembley, contra a Alemanha, por 4 a 2 após um tempo adicional, com Jack Charlton dirigindo a proteção, como fez em Leeds, o clube onde jogou durante toda a sua vocação no futebol.

Como mentor, Jack Charlton se transformou em uma lenda na Irlanda, depois de levar o grupo a dois grandes confrontos e até às quartas de final da Copa do Mundo da FIFA de 1990 na Itália.

No principal jogo irlandês em uma copa do mundo, Jack elogiou a vitória contra o grupo com o qual havia levantado a copa do mundo: a Inglaterra, dos três leões.

Recordações à parte, Jack, o grande mamute inglês também chamado de girafa por fisionomia, foi determinado há um ano a ter linfoma e demência. Ele chutou o balde nesta sexta-feira. Ele tinha 85 anos, comemorado em 8 de maio.

As mensagens de homenagem foram frutíferas, principalmente no futebol inglês, mas também em diferentes áreas e principalmente na Irlanda.