A infecção acabou de se espalhar por todo o mundo. O Covid-19 acaba de causar 8.784 passagens superiores a 209.000 casos de contaminação registrados em 150 países, conforme indicado pelas informações coletadas pelo escritório da AFP, citadas pela Lusa.

Conforme indicado pelas informações coletadas, a maioria das passagens foi registrada na Europa (4.112) e na Ásia (3.384).

As nações geralmente influenciadas depois da China são a Itália, com 2.978 passagens em 35.713 casos, o Irã com 1.135 passagens em 17.161 casos, a Espanha, com 598 passagens em 13.716 casos e a França, com 264 passagens em 9.134 casos.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considerou nesta quarta-feira a pandemia de Covid-19 um inimigo da humanidade.

 

Em Portugal, a Direcção-Geral da Saúde (DGS) aumentou a quantidade de casos de doenças confirmadas para 642 e a quantidade de passagens no país aumentou para duas. Dos casos afirmados, 553 estão se recuperando em casa e 89 estão hospitalizados, 20 dos quais em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Dos indivíduos contaminados em Portugal, três se recuperaram.

O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, declarou nesta quarta-feira um estado de emergência devido ao Covid-19. A revelação do estado de emergência acaba de ser confirmada pela Assembléia da República.

Conforme indicado pela Euronews, o anúncio confirmará que a situação altamente sensível será o resultado das 12h de quarta-feira até 23h59 de 2 de abril. Quinze dias é o período mais extremo em que a situação altamente sensível pode produzir resultados sob a Constituição. Seja como for, no final desse período, pode muito bem ser restabelecido.

A atividade dos direitos acompanhantes é em parte suspensa: a opção de viajar e instalar-se em qualquer lugar do domínio nacional; propriedade e atividade monetária privada; privilégios de trabalhadores; fluxo universal; opção para reunir e ilustrar; oportunidade de amor, em sua medida agregada; e direito de obstrução.

Conforme indicado pela declaração de direito do Presidente da República sobre a situação altamente sensível, os indivíduos que resistem aos julgamentos da situação altamente sensível, afirmados pelo parlamento, cometem um crime e levam a uma sentença de prisão de até um ano ou mais. multa de até 120 dias, conforme o Código Penal.