A pandemia de Covid-19 ainda não terminou, apesar de as pistas ainda não estarem vazias, e a China está agora discutindo pneumonia no Cazaquistão, que tem uma taxa de mortalidade muito maior do que o novo coronavírus. Mais de 1.700 pessoas chutaram o balde, diz a Embaixada da China no país no primeiro semestre do ano, geralmente em junho, incluindo residentes chineses.

De qualquer forma, o mundo ainda não está preparado para considerá-lo, pois, apesar de tudo, é possível que as mercearias carreguem assim vários horários diferentes que se forçaram.

As medidas atualizadas durante o período de restrição mudaram a conduta social, em todo o mundo. Palavras como repressão, separação social ou teletrabalho se tornaram parte do cotidiano de um grande número de indivíduos. Há sinais que podem deixar de ser parte do tradicional como um aperto de mão direto e até os sorrisos que se escondem atrás das faces ocultas.

A pessoa idosa voltou a ser mais nova neste novo período, como a tele-escola, mas recuperada com um PC para evitar doenças e permitir que crianças e jovens continuassem aprendendo.

O Covid-19 trouxe outra realidade e forçou outra dinâmica de vida que pode ter aparecido e permanecerá inconclusivamente enquanto a Organização Mundial da Saúde, entre diferentes associações, observa um futuro segundo dilúvio da pandemia.