A Renamo, através da sua associação de senhoras em Sofala, juntou-se neste domingo às vozes que são contrárias à retomada das aulas em breve, especialmente nas instruções essenciais. A turma feminina da Renamo é da conclusão de que o governo deve estabelecer estados fundamentais de limpeza em todas as escolas do país, incorporando aquelas em áreas remotas.

Somos contra o recomeço de aulas particulares e particulares, principalmente em treinamentos essenciais, pois aceitamos que não há condições de consistência com medidas preventivas, considerando o período de subestudos e a ausência de condições de saneamento. Para nós, a combinação desses dois elementos ajudará as escolas a se tornarem o ponto focal da poluição do COVID-19. Estamos discutindo aulas com 80, 90 e até 100 alunos em uma sala de estudos lotada. Não há condições para fugir do COVID-19. Abordamos o legislativo para reexaminar essa questão com cautela.

Em um evento semelhante, Celeste Cachite, que falava sobre o evento do dia da Liga das Mulheres da Renamo indicado neste domingo, garantiu que a ala feminina de sua reunião participasse efetivamente do processo de molificação do país, lembrando-se do procedimento de Desmobilização, Desmilitarização e Reintegração.

A evidência disso é a incorporação de dois soldados anteriores da Renamo na Polícia de Trânsito e nas bases da Renamo existem muitos guerreiros anteriores preparados para voltar à vida de não militares.

Pedimos ao legislador que concorde completamente com o procedimento e adicione sua mistura à vida de não militares, e que não perturbe e sequestre guerrilheiros anteriores.